24 outubro 2009

we all rock along - cap 9

-
Capítulo 9 - Compaixão


Apesar de parecer atrevido, Duncan foi falar com Chloe na escola. esperando conseguir alguma coisa à mais com ela. ainda não havia desistido de Chloe, e depois do que passou com ela, o que ele sentia havia crescido mais ainda.

— Chloe, oi. — disse Duncan.
— ah oi Duncan. — disse Chloe.
— er, voce tem um minuto?
— claro.
— sabe, aquilo que fizemos... foi incrível!
— ah sim. olha, foi... só uma experiência, Duncan.
— tá, Chloe, eu sei, mas é que...
— Duncan... por favor.
— Chloe... — Duncan se lamentava.
Chloe olhou pra baixo, sem saber o que dizer. então, repentinamente, se aproximou de Duncan e o beijou ternamente. depois lhe disse:

— eu preciso que me esqueça. pro seu próprio bem.

Quando Aaron menos esperava, Mellanie apareceu em sua frente como se viesse do além. ela parecia estar em todo lugar há todo tempo. porém usava tal dom para ficar sempre perto de Aaron. Mellanie comentou sobre a noite passada.

— bem, foi frustrante — disse Aaron.
— voce ficou bem? — perguntou Mellanie.
— claro, mas tive que voltar andando pra casa, de cueca.
— ah nossa! me desculpe, Aaron.
— tá tudo bem. mas devia calcular melhor seu tempo.
— foi voce quem demorou pra chegar lá.
— eu nem ia pra lá, Mellanie.
— mas foi. voce quis ir.

Aaron bufou e olhou pra Mellanie, que parecia hipnotizada. foram interrompidos por Carter, que levou Aaron dali, e disse:

— por que é tão frio com a Mellanie?
— porque ela é maluca. sério, ela me assusta. — confessou Aaron.
— haha! er, vamos pra Strawberry? tava querendo compôr alguma música.
— claro, eu preciso da minha guitarra.

Enquanto Josh se livrava da multidão ao sair da escola, avistou Bart andando rápido, parecendo nervoso, desesperado. Josh estranhou, enquanto corria, gritou:

— Bart!
Bart olhou pra trás, mas não parou.
— Hey, Bart! que foi, cara? — disse Josh, já perto de Bart.
— eu tô fodido! — garantiu Bart.
— por que?
— é depois de amanhã! eu tenho até depois de amanhã pra pagar a merda da droga.
— puts! é mesmo.
— o cara, aquele maníaco, vai me castrar!
— ele é sinistro, né? mas voce não tem a grana?
— não, né?!
— não tem nada? eu posso inteirar, sei lá.
— tenho pouquíssimo. valeu, mas não dá.
— tem que dar. o que voce vai fazer então?
— sei lá. vou começar à cavar minha cova. — Bart suspirou.
— vamos pensar num jeito. mas voce é um filho da puta!

Depois de conseguirem compôr uma ótima música, Carter e Aaron relaxavam na Strawberry. Numa pausa na conversa, uma garota linda, sentada numa mesa distante deles, chamou a atenção de Aaron, que comentou:

— cara, olha que garota linda!
— nossa! que perfeita! — disse Carter, quando a viu também.
— não tem um defeito sequer, olha só!
— chega nela, cara. — propôs Carter.
— é, vou fazer isso.

Então Aaron atravessou a lanchonete em direção à mesa da linda garota. assim que chegou mais perto, pôde percebê-la melhor. quando viu que ela não possuía as duas pernas, arregalou os olhos, surpreso, tropeçou e voltou boquiaberto para sua mesa. quando ele se sentou, parecia abismado. Carter então, perguntou:

— que foi, cara? parece assombrado.
— cara, ela... ela não tem as pernas. — explicou Aaron.
— ahn? por isso voce tá assim tão assustado?
— é. poxa, ela é tão linda!
— desistiu dela?
— cara, ela não tem as pernas. não dá!
— Aaron, e daí? um minuto atrás voce tava babando por ela — disse Carter, estupefato.
— Carter...?
— eu não acredito nisso! olha, eu vou lá falar com ela e se ela estiver interessada em voce, quero que a trate como qualquer outra garota!

Carter andou, indignado, até a mesa da garota. conversou normalmente com ela, que sorria e olhava para a amiga periodicamente. quando Carter disse que Aaron havia gostado dela, ela mostrou interesse. então Carter chamou Aaron para que ele pudesse conversar com a garota. antes, Carter alertou-o:

— voce sabe o que eu espero de voce, não me decepcione!

Gwen estava sozinha em casa, quando Lindsay chegou irritada. assistiu a amiga jogar sua bolsa no sofá, abrir a geladeira e deixar cair um copo de vidro, que se estilhaçou no chão. Lindsay então gritou:

— merda! que saco! — Lindsay começou à limpar o vidro quebrado.
— Lindsay, voce tá bem? — perguntou Gwen.
Lindsay levantou, suspirou e disse:
— não, eu não tô.
— o que houve?
— eu fui demitida da Strawberry.
— ahn? demitida?
— é. por uma idiotice daquele babaca do meu chefe.
— o que ele fez?
— é que... tinha uma garota lá, sem as pernas, que estava sentada tranquilamente com a amiga. enquanto ela me fazia o pedido, aquele idiota nos interrompeu e disse à ela que havia mesas especiais para deficientes e que ela não deveria estar sentada ali. ele falou como se ela também não tivesse cérebro. ela ficou sem fala, então eu disse que ela estava sentada ali na boa, e que ela podia sentar em qualquer lugar, já que ela era fisicamente capaz disso. ele insistia que ela teria de ter o trabalho de sentar na cadeira de rodas e ir até a mesa de deficientes, por causa das normas estúpidas dele. e eu continuei defendendo a garota. até que uma hora ele disse: "tudo bem, a garota pode continuar nessa mesa, mas voce está demitida!". eu fiquei perplexa. a garota disse que não precisava me demitir, que ela ia embora e tal. então eu disse que ela devia continuar ali, arranquei meu avental e fui embora.
— Lindsay, voce fez o certo. parabéns!
— eu sei. to morrendo de raiva dele, e tô sem emprego agora.
— e daí? voce arranja outro!
— gwen, aquela lanchonete não é a mesma sem mim. logo ele vai implorar pra eu voltar. mas só volto sob minhas condições.



_

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente se for capaz.