24 outubro 2009

we all rock along - cap 10

-
Capítulo 10 - Alívio


Finalmente, Gwen podia tirar o gesso de sua perna. estava ansiosa para poder andar normalmente e sair mais de casa. Carter a levou de carro até o hospital. Gwen não parava de falar e Carter apenas assentia com a cabeça. ela fazia planos para o fim de semana.

— podemos partir amanhã, né? — perguntou Gwen.
— sim, a festa é no sábado mas vamos na sexta. — explicou Carter.
— ah ótimo, teremos mais tempo pra curtir.
— lá é um ótimo lugar pra essas festinhas.
— esse seu primo é legal?
— claro, minha família, Gwen. — brincou Carter.

Chloe passou na casa de Amber. quando Amber atendeu-a, Chloe cumprimentou a namorada, que continuou quieta. tendo estranhado tal reação, Chloe perguntou:

— o que houve, Amber?
— pensei que estivesse satisfeita com o que eu posso te oferecer. — declarou Amber.
— do que voce tá falando? eu tô satisfeita com voce.
— então por que beijou o Duncan no meio da escola?
— aah isso. olha, Amber...
— não! tudo bem, eu não posso te dar o que ele pode.
— Amber, não é nada disso. deixe eu falar.
— Chloe, não tenta me enrolar. voce é péssima nisso.
— eu tô tentando te contar a verdade.
— vá em frente.
— olha, voce sabe que o Duncan gosta de mim. ele veio falar comigo sobre isso, eu evitei a conversa. então eu o beijei, e disse que eu precisava que ele me esquecesse. só isso.
— assim que voce quer que ele te esqueça? por que voce o beijou?
— é que... nunca vai rolar entre mim e ele. então eu o beijei pra ele ter um último beijo meu, sei lá. eu odeio quando alguém gosta de mim e eu não correspondo. mas eu vim te explicar, pra voce não ligar praquele beijo. não foi nada, Amber.
— tá. entendi.
— tá tudo bem, mesmo?
— tá. é que... eu fiquei meio insegura. sabe, ele é homem, pode te oferecer coisas que eu não posso.
— Amber, não se trata disso. eu tô com voce, tô feliz com você.
— eu sei, mas... ah sua irritante, voce me assustou. — disse Amber, em seguida beijou Chloe.

Sentada, despreocupadamente, numa das mesas da Strawberry, Lindsay assistia seu ex-chefe ir à loucura com o movimento da lanchonete e com um número insuficiente de garçonetes. ela sorria quando ele a olhava com raiva nos olhos. Depois de se irritar com um cliente reclamão, o ex-chefe de Lindsay chegou perto da mesa dela, bufou e depois de um tempo disse:

— eu admito que precisamos de você aqui.
— que ótimo. — disse Lindsay, que não perdia uma oportunidade para debochar.
— poderia voltar pra cá?
— depende. você poderia ser menos estúpido com os clientes?
Ele olhou pro lado, bufando, balançou a cabeça e disse:
— tá, Lindsay. tudo bem.
— então... só eu salvo esse lugar. estou contratada de volta, mas exijo um aumento. — disse Lindsay, apertando a mão de seu chefe.

Bart andava para casa mergulhado em pensamentos. só conseguia pensar no que faria pra pagar o que devia. estava super arrependido de ter criado esse tipo de dívida. então Josh o abordou, Bart só percebeu quando Josh gritou, de tão lerdo que estava. Josh, então viera como um alívio para Bart, dizendo:

— toma, brother. agora você pode pagar o cara. — Josh estendeu um maço de dinheiro para Bart.
— cara, onde você arranjou? — disse Bart, surpreso.
— eu... eu vendi meu video game e eu já tinha alguma grana.
— não, cara. valeu mesmo mas não posso aceitar.
— tá maluco? você não vai pagar o cara? Bart, pega isso logo.
— tá. eu vou te devolver logo.
— tsc. não precisa devolver.
— não, sério...
— Bart, não precisa.
Bart parou, olhou pro dinheiro que salvaria sua pele e perguntou:
— Josh, por que é tão legal comigo? acha que eu mereço?
— claro que merece, brother. você é o cara mais legal que eu conheço.
— acho que só você pensa assim. mas você é o cara mais legal. tá me salvando. valeu mesmo, brother.
— tô aqui pra isso, sempre. agora vamos tirar esse gesso.

Aaron estava em casa, tocando sua guitarra tranquilamente. foi surpreendido por Mellanie gritando ensurdecedoramente em frente à porta. Aaron foi logo atendê-la.

— por que está gritando tanto, Mellanie? — perguntou Aaron.
— porque todo mundo aqui deve ser surdo. estou aqui há horas te gritando.
— não pensou em tocar a campainha?
— não sabia que aqui tinha uma campainha. mas enfim, eu vim aqui dizer que eu já sei de tudo, tudo!
— tudo o que, Mellanie?
— você beijou uma garota ontem, na Strawberry!
— sim, e daí?
— ooh! você não tem consideração por mim!
— Mellanie, não temos compromisso algum.
— como assim? você acha que pode me iludir?
— Mellanie, por favor, se toca. me deixa em paz!
— idiota! você me paga.
— tchau, Mellanie.
— você me usou! é como um estupro! vou dar queixa, entendeu? você tá ferrado!
— pode ver você mesma? você tá totalmente maluca! passar bem, Mellanie. — disse Aaron, fechando a porta.

Mellanie, transtornada, foi até a delegacia e cometeu a insanidade de dar queixa de estupro contra Aaron. baseando-se em sua última noite juntos. não importava se isso prejudicaria Aaron, Mellanie estava obcecada por ele e agia impensavelmente na maioria das vezes. típica garota mimada que jamais soube perder.

_

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente se for capaz.