08 novembro 2010

we all rock along - capítulo 5 - 2°T

-

Capítulo 5 - Fogos de Artifício




Ontem;

Chloe, deixou cair a mão que segurava o celular. olhou pela vitrine da cafeteria e pôde ver Duncan em pé no meio da larga calçada. ele olhava fixamente para ela, segurava o telefone ao lado do rosto e a mochila pendurada em seus ombros. quando ventou e as tranças da toca que Duncan sempre usava voaram, Chloe recuperou a consciência, seu queixo caiu. ela se levantou, caminhou até a calçada, parou em frente à porta. ela olhava para Duncan com uma estranha expressão. estava assustada. Duncan deu um passo e um sorriso. ela recuou. em seguida, pôs-se à correr, fugindo dele.


Carter se preparava para dormir. ao desligar a luz, uma pequena pedra atingiu a porta de vidro da sacada de seu quarto, seguida de outras pedras. ele xingou e abriu a porta, se esgueirou pela sacada, procurando mas não viu nada. foi quando Justin gritou:

— hey! abre a porta pra mim!
— Justin? só podia. — Carter bufou. desceu as escadas cansado, vestindo a camisa. abriu a porta e Justin pulou para dentro.
— ah valeu, Cartie. esqueci que eu não tenho mais a minha casa e... minhas chaves.
— não querendo dar uma de mãe, mas onde você estava até essa hora?
— tava dando um rolê qualquer. o Central Park é um saco, sabia? eu saí de lá e fui pra uma loja de discos que tava bem mais animada...
— eu estava no Central Park também. eu te vi lá.
— sério? você me viu? — Justin riu e olhou pro lado — você viu quem eu tava pegando, não foi?
— é, o Josh. cara, desde quando você é gay, hein?
— eu não sou. você sabe, Cartie, eu pego tudo que se mexe. só isso.— Justin ergueu os ombros e fez bico. Carter riu. Justin disparou para as escadas, rindo um pouco. — sabe qual é a merda? não era pra você saber. por mim tudo bem. as pessoas poderiam saber. mas o Josh não quer que ninguém saiba dele ainda, entende? mesmo você que é amigo dele.
— não esquenta, eu já sabia. o Bart me contou quando tava bêbado.
— é, mas vocês só sabiam do que ele gostava e não sabiam que ele já tinha provado. — Justin subiu as escadas. Carter foi obrigado à imaginar qual seria a reação de Bart quando soubesse dessa história.


Hoje;

Ainda era bem cedo, Gwen e Aaron já estavam no local onde se realizaria o projeto. já estavam montados todos os stands, a passarela e a platéia, a decoração excêntrica e havia inúmeras propagandas por todos os corredores. Gwen já tinha milhões de coisas para organizar nos bastidores. Aaron agonizava nas mãos dos maquiadores. o DJ atrasara e Gwen ficara encarregada de trazê-lo antes que abrissem as portas aos convidados e a imprensa. ela corria por todo lado tentando dar conta de tudo quando a secretária da dona da agência a abordou:

— por que não está com roupas adequadas?
— o que disse? — Gwen comprimiu os olhos.
— era para estar de nude. todos que trabalham aqui devem estar de nude hoje. é tudo baseado no nude e você está com essa jaqueta rosa. que, à propósito, é linda, mas deveria ser nude.
— eu não fui informada.
— foi uma mudança de última hora. enquanto conversavam, Ava Fontenelle, a dona da agência, desfilava em direção ao camarim. quando passou por elas, sua secretária acusou. — senhora, a editora estilista Gwendolyn está de rosa e não de nude, como foi especificado. disse que não foi informada da mudança.
— como não foi informada? — Ava se virou e notou as roupas de Gwen. analisou por um instante. — interessante, muito interessante. mas não é o adequado. me acompanhe até o camarim, Gwendolyn. vamos ver o que consegue fazer com o nude.


Ao sair do acervo da agência, onde fora obrigada à trocar suas roupas por peças nude, Gwen começou à ligar desesperadamente para o DJ que estava atrasado, faltando poucos minutos para o início do evento. sem olhar por onde andava, apenas prestando atenção no celular, Gwen esbarrou ruidosamente com um homem pelos corredores.

— ah! me desculpe. e-eu... estou perdido. — disse ele.
— tudo bem. você que me desculpe. — Gwen pegou seu celular que havia caído no chão e levantou o rosto — não acredito! você? o que está fazendo aqui?
— hey! você é...
— a Gwen.
— claro. a Gwen, que me salvou naquele dia.
— sim. nossa! a gente se reencontrou. quem diria? mas o que está fazendo aqui, afinal? err... — Gwen tentava lembrar seu nome.
— Chester.
— isso, Chester!
— eu sou o DJ. eu acho que já era pra eu estar nas pick-ups há muito tempo, mas eu peguei um trânsito horrível e...
— ah meu Deus! você é o DJ?
— sim, sou eu. ou você acha que eu ganho a vida caindo de precipícios?


Mesmo sendo um dos primeiros convidados à chegar, Carter demorou à encontrar uma vaga para estacionar seu carro, a imprensa e os organizadores do evento já haviam tomado boa parte do estacionamento. assim que Lindsay saíra de casa, sujara seu louboutin e viera reclamando por todo o caminho. Carter, rindo, passou seu braço pelos ombros dela e a conduziu até o evento.

— uau! esse lugar tá maravilhoso. — Lindsay girou no tapete vermelho da entrada para ter a visão completa.
— é, capricharam na decoração. bem criativa.
— não era pra menos. sabia que a idéia de colocar as modelos nesses balanços no alto foi a Gwen quem teve?
— sério? ela tá mandando bem por aqui.
— tô torcendo pra que algumas delas desequilibre e caia. nossa! como eu vou rir.
— eu te empurraria se estivesse ali.
— você é adorável! — Lindsay parou — mas onde estão esses garçons? eu quero as bebidas logo!


Durante o desfile, Lindsay já estava alterada e continuara bebendo uísque e martini. Carter permanecia sóbrio e trocava olhares com uma garota sentada no balcão. ele finalmente andou até ela deixando Lindsay onde estava, distraída com o desfile e com seu drinque nas mãos. Carter sorriu maliciosamente para a garota, que abaixou o rosto e continuou olhando para ele. ela cruzou as pernas, quando ele se aproximou e ele pôs o cabelo loiro dela para trás da orelha, em seguida segurou sua nuca e a beijou.

Na passarela, Aaron entrara com sete composições diferentes. Gwen estava nos bastidores ajudando à compor os modelos. ao final do desfile, o último modelo à sair da passarela foi Aaron, que se atirou no sofá do camarim, bufando de cansaço. Gwen apareceu detrás das araras e abraçou Aaron, comemorando o fato de que tudo tinha dado certo. foi quando chegou a hora dos estilistas entrarem na passarela. Gwen foi chamada e entrou batendo palmas ao lado esquerdo de Ava, com todos os modelos seguindo-as. a dona da Supreme Management fizera um breve discurso, breves agradecimentos e emendou:

— ... hoje fiquei realmente surpresa com uma pessoa em especial da nossa equipe. um dia, mesmo sem referências ou qualquer experiência, contratei Gwendolyn Pope para ser editora na minha agência e futura estilista. — Ava estendeu sua mão, apontando para Gwen — eu não costumo praticar esse tipo de generosidade, afinal tenho de contar com o profissionalismo em primeiro lugar, porém eu notei um potencial muito grande nessa menina. — Gwen estava boquiaberta — e depois do que ela mostrou nesse desfile de hoje, depois de me provar que a capacidade que eu acreditei que ela possuía realmente existe, que compõe e cria looks como como se tivesse uma vasta experiência, só me resta declarar que Gwen Pope é a mais nova It Girl, fashionista e estilista em ascenção de Nova York.

Tremendo e com o queixo caído, Gwen recebeu o abraço de Ava e dos demais estilistas na passarela e estava sendo afogada por flashes e palmas. durante todo o furor, Lindsay batia palmas e pulava animada sozinha onde estava. Carter apareceu ao lado dela, ajeitando o paletó e sorriu em direção à Gwen.


A festa por lá já havia acabado. já anoitecera. Carter, Lindsay, Gwen e Aaron estavam no estacionamento rindo e se preparando para voltar para casa. antes de entrar em seu carro, Carter propôs que fossem emendar a festa e ir comemorar em um pub. depois de um rápido debate, todos concordaram e Lindsay, alterada, pôs-se à ligar para convidar Bart, Josh e Justin. eles então pegaram o trânsito em direção ao pub. Carter levava Lindsay em seu carro e Aaron levava Gwen no dele. Lindsay terminara suas ligações e informou:

— o Josh vai nos encontrar lá e o Justin também. mas o Bart não quer vir. ele disse que tá ocupado e cansado demais. eu duvido. deve estar viajando naquela bateria.
— ou desenhando. — completou Carter, distraído.
— por que ele estaria desenhando?
— ahn? eu disse "desenhando"? não foi o que eu... eu quis dizer... sei lá. ele deve tá na bateria.
— Carter, você tá bem? você disse que ele estava desenhando. por que ficou tão desconcertado agora?
— Lindsay, você tá bêbada.
— o que eu não posso saber, hein?
— é exatamente por isso que eu não falo; você não pode saber.
— ah! então tem algo!?
— cara, para de me pressionar! eu não vou te dizer nada.
— eu não vou te deixar em paz. você sabe. me conta logo. eu prometo que não digo à ninguém.
— puta que pariu! — Carter bufou — promete? — Lindsay assentiu — tá bem. o Bart, ele desenha. desenha muito bem e podia ter um futuro nisso. sabe, ele é um artista. mas ele parou de desenhar desde que aconteceram algumas coisas com ele. então ninguém sabe que ele é bom nisso. ele não gosta que ninguém saiba. ele parou porque desenhar o faz lembrar de coisas terríveis. eu e o Aaron, nós o incentivávamos. sem sucesso. mas de vez em quando ele ainda rabisca alguma coisa quando tá sozinho.
— isso tem alguma coisa à ver com o pai dele?
— você sabe dessa história?
— é, ele me contou.
— sim, tem à ver com o pai dele. mas, Lindsay, eu já te contei coisas demais. são segredos do Bart, eu não devia estar te contando. você tem que prometer que não vai falar nada pra ninguém e nem pra ele. esquece essa história. ele não gosta de tocar no assunto.
— tá, eu prometo. obrigado por me contar.
— ótimo. agora tenho que acreditar na promessa de uma bêbada.


Ao estacionarem no acostamento, Lindsay abriu a porta do carro e disparou para a calçada. pulava ansiosa esperando todos saírem do carro. logo, agarrou Gwen pelo braço e a arrastou para dentro do pub, rindo sem motivos e fazendo todos rirem. Carter e Aaron foram atrás fazendo piadas sobre a constante embriaguez de Lindsay. ao entrarem, se impressionaram quando viram que Josh e Justin tinham chegado antes que eles.

— como chegaram antes da gente? — Lindsay arregalou os olhos — eu liguei pra vocês quando já estávamos no caminho.
— estávamos aqui por perto. — Josh respondeu rindo e estendeu um copo com vodka.
— sentem-se. vamos encher a cara. — Justin enchia os copos de todos e aí, gatinha, como foi o seu evento?
— foi maravilhoso! eu fui declarada uma fashionista e estilista! — Gwen pegou seu copo e bebeu.
— e uma It Girl! — Aaron completou.
— mas que porra é essa? — Justin franziu as sobrancelhas.
It Girls são garotas que meio que criam as tendências da moda para as outras garotas se inspirarem. — Gwen explicou.
— e isso é importante?
— pra minha carreira, sim, Justin.
— Gwen, beba sua vodka.

Agora que estavam todos bebendo e conversando barulhentos, perderam a noção do tempo. que parecia voar conforme eles ficavam mais embebedados. Gwen fora ao banheiro inúmeras vezes. Aaron já estava quase desmaiando de sono. Lindsay estava à beira de um coma alcoólico, porém Carter a proibiu de continuar bebendo. Justin estava tão bêbado que não parava de falar e fazer piadas. Josh se levantou, tropeçou tonto, mas se manteve em pé. colocou a mão no ombro de Carter e disse:

— cara, quero falar contigo.
— Josh, você tá tonto de bêbado. — disse Carter, segurando o amigo.
— você também tá, Cartie Cartie. — Josh riu sem razão alguma — vem aqui que eu tenho que falar com você. — Josh foi pra longe do pessoal e Carter o seguiu.
— vai, pode falar.
— olha, o Justin me contou que você viu tudo. você viu a gente se pegando e blá blá blá. mas o Bart já tinha te falado aquela besteira e eu falei pra você não levar à sério. — Josh soluçava — mas eu não tinha feito nada ainda e eu não tinha experimentado. sabe, que se dane. eu não ia contar pra ninguém mesmo depois que eu comecei à ficar com o Justin. sabe, eu pego quem eu quiser, eu não preciso dar satisfações. — falava como um bêbado mas eu não vou falar pro Bart! porque ele aceitou tudo numa boa no final das contas, mas ele vai ficar cheio de merda se descobrir isso. Carter, não conta pra ele. — Josh agora parecia triste.
— Josh, presta atenção! ele é seu melhor amigo, cara. você não precisa esconder nada dele. ele vai entender. olha, eu tô contigo, eu gosto muito de você, LittleJosh! eu vou te ajudar se o Bart estiver meio maluco. e tá tudo bem. tudo está bem. ninguém se incomoda se você beija garotos ou garotas. entendeu? — Carter segurava o rosto dele. Josh estava com os olhos espremidos e vermelhos. fez um bico, abaixou o rosto e assim permaneceu por alguns minutos olhando para os pés. Carter esperou quieto.
— Cartie Cartie, você é um puta amigo. eu já sei o que eu vou fazer. Josh deu as costas à Carter e andou até a mesa onde todos estavam. Justin estava em pé no banco fazendo todos rirem. Josh colocou sua garrafa na mesa e subiu no banco pra ficar ao lado de Justin, que olhou para ele normalmente. quando cessaram-se as risadas arrancadas pelas piadas de Justin, diante dos olhares de seus amigos, Josh segurou o rosto dele, o trouxe para perto e o beijou.




-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente se for capaz.